Páginas

sábado, 5 de fevereiro de 2011

A BÍBLIA

A bíblia é uma palavra de origem grega que significa ”LIVROS”. Daí que se deu o título BÍBLIA à coleção de livros que, sendo de diversas origens, extensão e conteúdo, estão essencialmente unidos pelo significado religioso que têm para o povo de Israel e para todo mundo cristã.
Temos outros nomes como:
“As Escrituras” -  derivado do Latim e significa “Os escritos”
Rolo do Livro” em Sl.40:6;11b10:7
Escrituras da Verdade” Em Daniel 10:20
Os títulos prediletos de Jesus eram “As Escrituras” e “A Palavra de Deus”

Unidade e diversidade que não se opõem entre si, mas que se complementam para dar a Bíblia o seu específico caráter.
 As Escrituras Sagradas contêm em si mesma a aprova de sua origem divina. Nenhum outro livro pode responder às perguntas do espírito ou satisfazer os anseios do coração como a Bíblia. Adaptam-se a toda condição da vida, e estão cheias daquele conhecimento que ilumina o espírito e santifica a alma. Encontramos nelas a revelação de um Deus vivo
     Recebidas pela fé, tem poder para transformar a vida. Através de toda a sua história o cuidado divino tem demonstrado sobre elas, preservando-as.
Foram mais ou menos 40 escritores, Um só autor (o Espírito Santo).
Primeiramente Deus fala aos homens santos através da linguagem oral (verbalmente) Contudo houve necessidade de uma revelação escrita aí Deus ordena a MOISÉS para que escrevesse sobre o Pentateuco.
 O Velho Testamento foi quase todo escrito em hebraico que era a língua falada pelos judeus
Os Manuscritos Originais
Manuscritos: São documentos escritos à mão
Apesar de que muitas vezes ouvimos e falamos dos “Manuscritos Originais” é um fato notável, pelo que sabemos não há Manuscritos Originais nem o N.T. provavelmente porque Deus sabia que se os tivesse preservados, os homens haveriam de venerar mais do que o Seu Autor e os adorariam ler II Reis 18:4.
- Esses documentos ao ficarem velhos eram enterrados pelos judeus, que usaram cópias autenticadas em lugar deles.
- Outros documentos foram perdidos durante as guerras e perseguições pelas qual o povo antigo foi oprimido de vez em quando.
- Os reis idolatras e imperadores e ímpios de Israel podem ter destruídos muitos manuscritos (Jr 36:20 a 26) (27 em diante nos conta que“Baruque foi quem escreveu o livro de Jeremias”)
- O monstro Antigo Epifanes, rei da Síria (I 75-164 a.C. dominou a Palestina durante o seu reinado).
Decidiu exterminar a religião judaica, é assolou Jerusalém em 168 d.C. profanou o templo e destruiu copias da escritura.
- Diocleciano, feroz imperador romano (284-305 DC.) perseguiu os cristãos e destruíram cópias das Sagradas Escrituras. Reinou 10 anos. Ele achou que tivesse destruído tudo e mandou cunhar uma moeda comemorativa pela vitória.
 - Mesmo quando o NT. Foi escrito, parece que os documentos do VT. Já tinham sido perdidos
Os Manuscritos existentes
Enquanto este é o caso dos manuscritos originais, há hoje milhares de manuscritos hebraicos e gregos, os quais foram copilados do antigo manuscrito, por escribas judeus, de tempo a tempo, geralmente estes são os documentos referidos, quando os “originais” são mencionados. Não é possível dizer quantos existem, enquanto eles estão preservados principalmente nas grandes bibliotecas na Europa, e muitos são propriedade de indivíduos.

 Estes manuscritos existentes podem ser divididos assim:
1 – Manuscritos hebraicos do V T.:
2 – Manuscritos gregos do NT. (conhecidos como a septuaginta) traduzidos do hebraico cerca de 277 AC..Também datado 4º século
3- Antigas traduções das Escrituras, ou em parte, em Siríaco, Latim, Alemão e outros idiomas da várias datas.

Fazendo cópias dos Manuscritos Hebraicos
 Regras que os judeus exigiam de cada escriba (versados nas leis de Deus e nas tradições judaicas, eles copiavam o texto, revisavam e davam interpretação para fazer cópias dos manuscritos).
O pergaminho tinha de ser feito das peles de animais limpo. Eles tinham o máximo de cuidado, contavam não somente palavras, mas cada letra, e destruindo no mesmo momento a folha se um erro fosse encontrado. Cada cópia devia ser feita dum manuscrito original escrito com tinta negra preparada por uma receita especial. Carvão vegetal (negro) pulverizado com goma ou azeite ou água, para uso do pergaminho e papiro (Paulo escreveu no papiro).
 Era necessária que os escribas pronunciassem cada palavra em voz alta antes de escrever e em caso nenhum podiam escrever de memória. Os escribas precisavam limpar suas canetas antes de escrever o nome de Deus e banhar o corpo inteiro antes de escrever “Jeová” (com pena de ouro).
Podemos ver que Deus tem guardado suas palavras durante séculos desde 1500 a.C. quando Moisés escreveu as primeiras páginas (Ex.24:4) até o último trabalho de João, o teólogo acerca de 100 d.C. e também durante este século desde a Dispensação da Graça.
Não se pode exagerar a dívida de gratidão que nós devemos aos judeus, pelo cuidado deles em extremo, na preparação e preservação dos manuscritos do VT. Nem das regras que eles exigiam de cada escriba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Google Analytics Alternative